Secretaria de Saúde inova e implanta programa de Danças Circulares

Por meio da Política de Práticas Integrativas e Complementares do Sistema Único de Saúde (SUS) a Secretaria Municipal de Saúde inovou e trouxe para o município as Danças Circulares com o apoio da enfermeira Cristiane Forgiarini de Moraes, em parceria com a técnica em enfermagem Leonice Stroshom.
Neste foram contemplados os bairros Aliança, Ditz, Castelarin, Indubras, Dido, Olavo Reis, Haller e Cristal, envolvendo mais de 300 participantes. As aulas acontecem nos núcleos comunitários ou nos salões paroquiais de cada bairro. Em 2018, de acordo com o secretário municipal de saúde, Luis Carlos Cavalheiro, o objetivo é expandir o projeto. Em fevereiro as agentes comunitárias de saúde e equipes de estratégia da saúde da família estarão realizando as inscrições, tendo como público alvo homens e mulheres a partir dos 30 anos e que desejam conhecer esse novo método.
A DANÇA
A Dança Circular é fácil de aprender. Realizada em roda, primeiro é ensinado o passo e depois ele é feito junto com a música, aos poucos os movimentos se integram e alcançam o objetivo de liberar a mente, o coração, corpo e espírito, dessa forma, gera o sentimento de união em grupo a partir do momento em que todos estão de mãos dadas, estabelecendo apoio e auxilio entre os companheiros.
A terapia através da dança é indicada para pessoas de todas as idades porque auxilia o indivíduo a conhecer seu corpo, acalma o emocional, trabalha a concentração e a memória, traz cura e alegria, movimenta o interior em sintonia corpo, mente e emoção. Uma das características principais da dança é a aceitação do erro, quem erra algum dos passos não é excluído da roda, pois, todos estão se ajudando. “Quem sempre erra os passos para trás, pode parar e pensar se está conseguindo lidar bem com o passado e quem complica os passos fáceis deve refletir se não está complicando coisas simples da sua vida”, explicou a enfermeira Cristiane.
Quem participa do projeto deve ter em mente os três pilares essenciais que precisam estar presentes na roda, o primeiro é atenção no que está acontecendo, segundo a confiança para que tenha entrega na dança e o terceiro é perdão para saber que pode errar.

Texto: Isabelle Luft
Foto: Divulgação SMS